A saúde e soberania alimentar de um povo, define o nível de desenvolvimento de seu país.

Atualizado: Abr 26

XAVIER, Josilda B.L.M. [1]



O Brasil, desde 2006 é, talvez, o único país que possui um Guia Alimentar elaborado a partir das características socioeconômica, cultural e ecossistêmica de seu povo e biomas. "Tendo por pressupostos os direitos à saúde e à alimentação adequada e saudável, o guia é um documento oficial que aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável para a população brasileira, configurando-se como instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional no SUS e também em outros setores" (BRASIL, 2014).



Importância dos alimentos naturais e ambientalmente sustentáveis.


O ato de comer, no que se refere aos humanos, é um ato político-social quando feito em grupo (promove o encontro, discussões e reflexões sobre várias temáticas cotidianas); é um exercício cultural (permite a ingestão de alimentos característicos da região onde se vive, como também permite a inserção em outras culturas); é uma ação biológica / nutricional (dá acesso aos nutrientes que o organismo necessita para realizar seus processos celulares, metabólicos).


Nas frutas, legumes, verduras, cereais, tubérculos, sementes, castanhas etc., são encontrados todos os nutrientes que o organismo humano necessita para a realização de todos os processos bioquímicos necessários para o fortalecimento e bom funcionamento de todos os sistemas biológicos (imunitário, cardíaco, respiratório, neuro-sensorial etc.).


Além disso, respeitar, priorizar e acompanhar a sazonalidade produtiva de algumas frutas, bem como a forma pela qual os alimentos foram produzidos, principalmente no que se refere ao uso de agrotóxicos, é fator determinante para que o alimento que vai à nossa mesa não esteja poluindo o solo, a água, bem como não causando doenças / morte a quem os ingere e/ou os manipula em sua produção.


Atenção com os ultraprocessados e industrializados


Os produtos que estão nas prateleiras de supermercados em sua imensa maioria, são oriundos de indústria química alimentícia. São produtos com alto teor de sal, açúcar, gordura hidrogenada, aditivos químicos que simulam sabores característicos de frutas ou adocicados que agradam ao paladar de crianças e adultos, mas que não tem nenhum nutriente. Alguns exemplos alimentos ultraprocessados/industrializados que devem ser eliminados de nossa alimentação cotidiana: refrigerantes, salgadinhos, gelatinas, sorvetes, margarina, macarrão instantâneo, achocolatados, biscoitos recheados, frituras, refresco em pó, tempero pronto, iogurte industrial, guloseimas, queijinho petit suiss etc.



[1] Docente do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da UNEB/DEDC/Campus VIII. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0838920937933125



REFERÊNCIA


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. Reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: http://www.fsp.usp.br/nupens/o-que-e-o-guia-alimentar/



2 visualizações0 comentário